O chamado...

Ir em baixo

O chamado...

Mensagem  Valentina Zelyaeva em Qua 28 Nov 2018, 00:13

Valentina estava em seu escritório, ela tinha acabado de terminar uma cirurgia que havia tomado sua manhã toda. Precisou mesmo de um banho no HU mesmo, após tantas horas em uma mesma cirurgia, e estava em sua casa, repassando algumas fichas.
 
Valentina usava um vestido negro, sempre um Armani, o mesmo era de gola v, e mangas curtas, descia colado ao corpo, ate a altura dos joelhos, nos Loubotins e cor vermelha, um pouco chamativos ao estilo dela.
 
Vai ver acordou com algum pressentimento, vai saber.
 
Ela tinha os cabelos presos em um coque sério, e nenhum fio fora do lugar, o rosto tinha pouca maquiagem, ressaltando as sardas e aparência cansada.
 
Havia uma pilha de fichas a mesa, e Valentina não sabia nem que horas sairia daquele lugar.
 
Era quando tinha uma sensação estranha, erguia o delicado rosto dos papeis, e olhava a sala dela de imediato transforma-se em algo diferente.
 
Algo mais antigo, a sala perdia toda a simplicidade formal de Valentina, e ganhava duas camas de ferro, enferrujadas, colchões sujos, o chão com pisos quebrados, não havia nenhuma janela a sala, e somente a porta tinha uma abertura que parecia uma janela, com grades.
 
Estava numa sala de sanatório?...
 
Valentina arqueou a sobrancelha, parando suas anotações.
 
E cerrou de leve os olhos.
 
De imediato sabia que estava em uma bolha atemporal, conhecia exatamente a sensação de estar em uma, e a forma como elas se formavam, como espelhavam o que um dia foi realidade.
 
Mas porque diabos estava sendo atraída aquilo?
 
E desde que...
 
Não existiam poderes capazes de gerar aquilo.
 
Valentina suspirava fundo e fechava os olhos, para então abri-los, e conseguir se situar em sua sala novamente.
 
Dois mundos, dentro de uma única visão.
 
Era concentração extrema separa-los.
 
Mas assim que viu o nome de Reed, ao visor, ela estendeu a mão e apanhou o celular, levando-o ao ouvido.
 
- Valentina...
 
E então Reed falava da assistente dela, o helicóptero do HU, que ela vá a borda, paramédicos, localização, e então Valentina ouvia rosnados.
 
E ela agora começava a entender algumas coisas.
 
Reed falava da cozinha.
 
E Valentina já estava de pé, com o celular ao ouvido.
 
Estendia a mão apanhando sua maleta com instrumentos e já caminhava na direção da porta, estendia a mão pra tocar a maçaneta, e a mesma era agora de ferro e enferrujada, estava na maldita sala de novo.
 
Abriu a porta, e já caminhava pelo corredor, tendo certeza que era um Sanatório.
 
O antigo Sanatório de Cambridge, o HU tinha sido construído em cima dele....
 
Alguns diziam que aquilo foi um Orfanato um dia.
 
- Reed....proteja-se, mantenha todos protegidos, eu estou indo...
 
Valentina logo ligava para a ADM do Hospital.
 
- Preciso do helicóptero de resgate imediatamente...
 
Afinal era o mais rápido que conseguiriam um helicóptero, mesmo Katherine sendo influente como era, não era o “the flash”, e não andava com helicópteros em Cambridge.
 
Era unir forças para lutar contra o tempo.
 
Valentina parava ao corredor podre daquele lugar, parecendo não se incomodar com nada.
 
Porque ela estava no HU, no corredor luxuosos da ADM, com o piso de mármore.
 
Era lá que estava.
 
Foco.
 
- O que? Como diabos está em manutenção, ISTO É UM ABSURDO!
 
Ela quem rosnava agora, até xingava em russo.
 
- Eu preciso de um helicóptero...! Arrume um! Cinco minutos....
 
E ela logo caminhava a passos mais rápidos. A supervisora do HU não era uma Katherine, mas ela conhecia Duxhill como ninguém, principalmente os alunos.
 
Principalmente os que tinham problemas de saúde e solicitaram o heliporto em sua chegada.
 
E bom.Valentina foi bem clara.
 
O telefone de Maxwell Ross vai tocar.
 
E a história vai ser contada em segundos, enquanto o nome de Valentina é mencionado, e helicóptero precisava estar no heliporto em cinco minutos, um resgate de emergência, em nome de Duxhill, do pai e do espirito santo, antes que Valentina vire um demônio.
 
O fato é que em cinco minutos. Valentina vai estar no heliporto, usando um sobretudo por cima do vestido, com mais três assistentes, com duas macas, com aparatos médicos.
 
Tudo em cinco minutos.
 
Porque se ela colocasse incompetentes em sua equipe, ela não seria a Dra. Zelyaeva.
avatar
Valentina Zelyaeva

Nacionalidade : Moscou, Rússia
Idade : 26
Cargo : Segredo
Humor : Nobre
Mensagens : 504

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O chamado...

Mensagem  Maxwell Ross em Qua 28 Nov 2018, 10:57

Ah, qual é, Valentina... Acha mesmo que sou um dos seus funcionários, no qual você bate o pé, e eles correm para atender seu chamado?

Talvez se você estivesse de espartilho branco, meia 7/8 e chicote eu obedeceria.

Mas assim, sem mais nem menos?

Tá, tá... É um pedido da presidente da ZBZ.

Tem gente morrendo.

Mas, porra, eu não tenho como tirar um helicóptero de carga do cu para te atender em cinco minutos.

Até porque eu estava... Ocupado.

Mas enfim, quinze minutos depois do seu chamado, o imenso helicóptero preto e dourado de Max descia na sua frente, no heliporto.

Ah, mas eu não sou tão fácil assim, sabe?

Eu fiz exigências.

Enquanto você esperava, enfermeiras juntaram-se a você com roupas de cama antialérgicas... Afinal elas são revestidas de plástico por dentro, assim não vão emporcalhar meu belo colchão de penas de ganso.

Assim que Rain desce habilmente no heliporto... Ninguém mais, ninguém menos, do que calouro mais lindo que você já viu abrirá a porta para você, ó realeza magnânima Valentina.

Abro a porta de correr, exibindo meu melhor sorriso para você - Boa noite, Dra. Zelyaeva... Já temos as coordenadas, por favor, suba rápido...

Nossa, fui super profissional agora, não é?

Pareço até me importar com quem está morrendo.

Mas no momento olhar para suas pernas é meu maior interesse.

Por que não deixamos o imbecil que foi se aventurar na floresta morrer, e não experimentamos meu colchão de penas de ganso, doutora?

Vem cuidar de mim, vem... Estou passando mal.

Visto um terno William Fioravanti feito sob medida, em um cinza tão escuro que na baixa luz parece preto.

Camisa branca, também Willian Fioravanti, de algodão egípcio... É tão gostosa que é como se você estivesse limpando a bunda com seda, Valentina.

Além de uma gravata no mesmo tom do terno.

Como sempre, uma echarpe cobria meus ombros, para quebrar aquelas cores frias. Em um quadriculado de roxo, cinza claro e creme.

Obviamente que uso fones, para me comunicar com Rain.

E assim que você adentra o helicóptero, pode ver cerca de oito poltronas reclináveis, em couro preto.

Enormes.

Confortáveis.

E que ocupavam muito espaço.

Além disso, uma imensa cama de casal ao fundo, com um frigobar ao lado, televisores e mais uma parafernália de coisas.

Mas bem, era uma cama... Você teria onde levar seu acidentado, não?

Fora que era um helicóptero capaz de carregar muita gente.

Era melhor do que você poderia pedir.

_________________
I told you I was trouble      
You know that I'm no good
        
avatar
Maxwell Ross

Nacionalidade : New York, USA
Idade : 25
Cargo : Calouro
Humor : Qual você prefere?
Mensagens : 175

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O chamado...

Mensagem  Valentina Zelyaeva em Qua 28 Nov 2018, 11:17

Maxwell...Quer mesmo saber o que eu acho de você?....
 
E eu não uso espartilho, mas eu não acho que sua mente consiga processar isto, para você toda mulher usa uma lingerie sedutora por baixo da roupa, porque ela só se vestiu para ter relações sexuais.
 
Você é imundo, e eu tenho nojo de gente que pensa como você!
 
Me imagine de cirolas, pervertido!
 
E é um pedido de Valentina Zealyeva, que por sinal é responsável pelo hospital da Universidade onde você pretende se formar Sr Ross, e além do que eu sou quase da família Valmont, você conhece os irmãos Valmont? Conhece Noah Valmont, ele deve jantar garotinhos como você no jantar.
 
Agora me poupe, de tanto bla bla bla, e seja útil!
 
E menos nojento.
 
Além do que tenho fama de bruxa.
 
Assombração.
 
Que voltou dos mortos.
 
Então por favor, Maxwell, limite-se a seus afazeres.
 
Valentina olhava para o pulso, e bufava.
 
Onde estava o maldito helicóptero?
 
E vinha aquelas enfermeiras, aqueles aparatos, que Valentina somente olhou e não deu muita atenção.
 
E então o helicóptero finalmente descia, fazendo alguns fios fugirem do coque da Dra e o sobretudo balançar um pouco, ela mantinha a maleta na mão, e o rosto erguido.
 
E então o rapaz abria a porta de correr e estava com aquele sorriso.
 
Valentina manteve a mesma expressão séria nos olhos.
 
Eu pedi o helicóptero, não precisava ter vindo com o Batman junto!
 
- Bom dia, Sr Ross, acredito que ainda é dia, talvez suas disfunções corporais já não estejam deixando você ter percepção disto.
 
Ou seja, você é um charlatão, aproveitador, cafajeste e tanto faz dia ou noite para você, em ambos os casos você está sempre fazendo a mesma coisa.
 
Valentina subia ao helicóptero e então ela parecia ponderar algo, ela ficava parada algum tempo olhando para você Maxwell.
 
E cerrava de leve os olhos e então virava-se a seus assistentes.
 
- Não preciso de vocês...
 
Logo ela entrava ao helicóptero, e caminhava até uma das poltronas, acomodando sua maleta ao chão ao lado de seus pés, sentava-se a mesma e cruzava as pernas.
 
Não me incomoda uma criança na puberdade olhar minhas pernas, Maxwell. Você acha que é o único?
 
Valentina ignora todo o cenário, ela já tinha visto a cama, ia servir.
 
E se possível que Maxwell não abrisse a boca a viagem toda.
 
Fato é que ela acomodou a cabeça ao banco, e manteve os olhos a janela.
 
A mão dedilhava o braço da poltrona, impaciente.
 
Maxwell lhe causava uma sensação estranha, era como se ele estivesse.
 
Sujo...
 
Como se tivesse perdido algo, como se faltasse algo nele.
 
Faltava algo.
 
Ele havia perdido algo.
 
Mas o que?
Não queria que ele estivesse junto, começava a se arrepender de te-lo chamado.

Mas ia fazer o que? Deixar Ezio morrer, por minutos?

Ou pelo sexto sentido dela estar dizendo que muita gente já estava se envolvendo ali.

e vamos arrastar mais um?
avatar
Valentina Zelyaeva

Nacionalidade : Moscou, Rússia
Idade : 26
Cargo : Segredo
Humor : Nobre
Mensagens : 504

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O chamado...

Mensagem  Maxwell Ross em Qua 28 Nov 2018, 14:01

Por que não usa espartilho, doutora?

Ficaria tão bem em você.

Garanto que cinco minutos comigo todo seu nojo vai passar.

Mas com espartilho, viu?

Você é tediosa, doutora.

Linda.

Perfeita.

E tediosa.

Porque seu ar superior me passa a impressão que você é germofóbica ou algo assim.

Sabe aquelas pessoas que vão ao banheiro com luvas de látex?

Te vejo assim.

Incapaz de pagar um bom boquete.

Com nojinho.

Mas, ratifico, você de espartilho seria épico.

Até de ceroulas seria bonito.

Mas, com seu jeito, só consigo te imaginar com um macacão estéril bege.

Não me toque! Não me rele!

Triste.

Eu sou o Batman, doutora?

Não me faça te imaginar como Mulher Gato.

- Ah, é? Desculpa, doutora... Talvez, mais tarde, a senhora possa me examinar e corrigir isso...

Respondi.

E não era sarcástico.

Tinha um tom sério, acompanhado de um sorriso de lado.

Pra cima de mim, doutora? Sonha.

Então você dispensava os assistentes.

Claro.

- Espera... Disso aqui eu preciso... - Impeço a garota de ir, apanhando os lençóis e travesseiros que ela trazia.

Nem fodendo que eu ia socar qualquer idiota naquela cama e não proteger ela.

Ela é feita pra mim.

E para minhas garotas.

Não para idiotas que você socorre.

Que eu só ajudo para ganhar moral com essa porcaria de lugar.

Ouvi falar que o cargo de vice tá open, sabe?

Logo fecho a porta.

E novamente seco você cruzando as pernas.

Não te incomoda? Mostra mais aí então, tia.

O adolescente aqui nem liga se você o vê como uma criancinha.

Dá docinho pra ela, dá?

Depois te te olhar, vou até o fundo e coloco os lençóis ali.

Vestindo o colchão, trocando travesseiros e guardando tudo em um maleiro.

Para em seguida voltar para a poltrona.

Sentando-se de frente para você.

Já que você não liga que eu olhe....

Estou sujo?

Ok, essa avaliação você acertou.

Eu sou sujo, doutora.

Um garoto mal.

Quer vir me punir, tia?

Logo Rain passa que em minutos chegariam ao lugar.

- Estamos chegando, Doutora... Se eu puder ajudar em mais alguma coisa, ficaria feliz em auxiliá-la...

Não sou um anjo?

_________________
I told you I was trouble      
You know that I'm no good
        
avatar
Maxwell Ross

Nacionalidade : New York, USA
Idade : 25
Cargo : Calouro
Humor : Qual você prefere?
Mensagens : 175

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O chamado...

Mensagem  Robin Miranda Astor em Qua 28 Nov 2018, 14:16

Max receberia um SMS de Robin.
 
” Em sentido figurado a palavra oráculo também pode ser sinônimo de profecia ou revelação.”
 
Provavelmente está relacionado a alguma profecia, afinal o Labirinto promete algo em troca de quem o atravessa.

Eu encontrei algumas anotações de minha família, gerações passadas, onde eles falam de uma profecia.

Onde o mal verdadeiro viria para a Terra e destruiria tudo, são anotações sem sentido, mas em um dos cadernos existe a palavra Oráculo circulada e ao lado Profecia.

Se estou certa em minha teoria, e preciso ser sincera.

Provavelmente o Labirinto é o que separa o mal verdadeiro da Terra, e o Oráculo é a “chave” que você procura.
 
Me pergunto.
 
O que pode ser tão importante a Maxwell Ross a ponto de não enxergar de forma cética a mensagem acima, ou de fazer questão de o fazer em puro beneficio próprio.?
 
Encontre a chave, Maxwell, Encontre o Oráculo.
 
Ou nem precisa mais me dirigir a palavra.

_________________

I'm not selfish. I only value the only person in the world that I can trust: myself.
avatar
Robin Miranda Astor

Nacionalidade : California, USA
Idade : 28
Cargo : Calouro
Humor : Elitista
Mensagens : 227

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O chamado...

Mensagem  Valentina Zelyaeva em Qua 28 Nov 2018, 14:26

Não gosto de espartilho, Maxwell.
 
Qualquer coisa fica bem no meu corpo, sou magra.
 
Tediosa e Enojada.
 
E meu ar pode passar a você o que quiser, contanto que você entenda a distancia que deve manter.
 
E acredite eu também não faço boquete.
 
Sou um tédio.
 
Valentina ouvia Maxwell falar daquele jeito e ela logo piscou de leve os olhos.
 
- Sou cirurgiã, não trato retardados....
 
Poderia ser sério ou não, a resposta dela seria a mesma.
 
E ela dispensava sim os assistentes, já não basta ter você envolvido.
 
E então quando elas já iam embora, Max dizia precisar de algo. Valentina já se sentava, enquanto via ele proteger a cama, via o apreço que tinha naquilo.
 
Ah claro, quem colocaria você como vice?
 
Pietro, claro.
 
Ele tem péssimo gosto para escolher...pessoas.
 
E não me incomoda, mas também não me faz ter vontade de mover um musculo na sua direção.
 
Você pode olhar, desde que mantenha a boca fechada.
 
E sobreviveremos.
 
Logo Max retornava e sentava-se de frente para ela, Valentina voltava os olhos a ele, e o encarava de modo fixo.
 
Ela não tirava os olhos de você, Max. Tem noção disto?
 
E a questão é que, ela não parecia te olhar com nenhuma intenção.
 
Apenas te olhava, daquele modo até assustador.
 
E então Max falava e “Valentina” quase despertava.
 
Finalmente ela suspirava.
 
- Maxwell...
 
Ela pausava enquanto virava o rosto e já encarava a floresta, em breve pousariam, e logo os olhos voltaram aos dele.
 
Ela virou o rosto e encarou você de volta Max, e por um momento ela olhou a poltrona ao lado da sua, e depois voltou os olhos a você.
 
- Você ajuda não saindo deste helicóptero....
 
Ela já se erguia e apanhava a mala dela, caminhando na direção da porta, com a urgência de sair.
avatar
Valentina Zelyaeva

Nacionalidade : Moscou, Rússia
Idade : 26
Cargo : Segredo
Humor : Nobre
Mensagens : 504

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O chamado...

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum